sábado, 30 de novembro de 2013

problemas pessoais

estafa de primeira
desconfiança da segunda
abuso na terceira
bajulos nas primeiras
preguiças das segundas
legados, enfim, às terceiras

í

foi assim
entrandoadentro
sem mesmo esperar
que a ironia corresse a íris
cegando-a para o sol das cores
desdenhada pelo excesso de amoras
semícaro, semsol e semesperança
o universo em rota de colisão

a'mt

Na linguagem particular dos nossos dias
as consoantes sobram sem vogais
cheias de sentidos leterais
que se desprendem dos termos gerais

abreviados e impoupados no amor
nos nós de nossos sons
redizemos sem falar
o que incansamos de n-s dizer

desejoso de soar
o mais curto que fosse
encurtei o verso

tornei-o mais doce
no latejo de gozarmos
em sentidos, submersos

sábado, 23 de novembro de 2013

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

tino

em um átimo, um étimo atingiu um ritmo ótimo para quem ficou
                                                                                          [por último

terça-feira, 12 de novembro de 2013

~l~


                      leves
levo
          comigo                                           

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

S


entre o inter
pela travessa prefixial
e o tício caudaloso
de veneno luxuoso
o
deslize consonantal

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ñ

"neste mudo"
e o nariz da palavra
na ponta dos dedos
não soava
ele disse
sim, disse "mudo"
era o que queria dizer?
e queria dizer
mais, mas não dizia
não podia? talvez
porque era falho
como era um "mudo"
que não
se ouvia: caralho!
"mundo", sim
este domais
possível morrer
mudo